Resenha: Harry Potter and the Cursed Child


Talvez o livro mais esperado dos últimos tempos pelos Potterheads ao redor do mundo, Harry Potter and the Cursed Child é um livro que mostra o roteiro usado nos ensaios da peça homônima que está sendo apresentada na Inglaterra. Ele foi escrito em parte pela J.K. Rowling e também, como coautores Jack Thorne e John Tiffany. A resenha tem sua parte final sinalizada como Spoiler, logo, se você não quiser saber sobre a história não vá até lá, e além disso, entendam que eu amo o universo de Harry Potter e não consigo ser imparcial haha.

HP8Sinopse

The Eighth Story. Nineteen Years Later.

Based on an original new story by J.K. Rowling, Jack Thorne and John Tiffany, a new play by Jack Thorne, Harry Potter and the Cursed Child is the eighth story in the Harry Potter series and the first official Harry Potter story to be presented on stage. The play will receive its world premiere in London’s West End on July 30, 2016.

It was always difficult being Harry Potter and it isn’t much easier now that he is an overworked employee of the Ministry of Magic, a husband and father of three school-age children.

While Harry grapples with a past that refuses to stay where it belongs, his youngest son Albus must struggle with the weight of a family legacy he never wanted. As past and present fuse ominously, both father and son learn the uncomfortable truth: sometimes, darkness comes from unexpected places.


Foi difícil saber como começar a escrever essa resenha, primeiro pelo fato de amar Harry Potter, e sempre ter esperado uma oitava história para poder entrar nesse mundo que tanto amo novamente. Segundo, por ter gostado muito do livro, e antes de  conseguir escrever e falar para vocês, eu precisava digeri-lo e refletir sobre ele. A história é fantástica, e eu não sei como eles conseguiram encenar tudo aquilo em um palco.

Como é um roteiro, ele não tem o mesmo formato de um livro, não é uma narrativa. Então no início, pode ser difícil entender e acompanhar os fatos, o que torna a leitura trabalhosa. Eu li a versão em inglês, e o meu inglês é médio, senti um pouco de dificuldade, mas nada que atrapalhasse o entendimento, e onde eu realmente não conseguia entender, os tradutores online foram muito úteis. No começo tudo acontece rápido e as cenas mudam com uma frase,  o que me deixou um pouco frustrada e quase me fez desistir, por isso eu falo para vocês, persistam e leiam ele todo.

Bom, sobre a história, ela começa praticamente onde o sétimo livro acaba, com Alvo Severo, o filho do meio de Harry e Gina, indo para Hogwarts junto com a prima Rose, filha de Hermione e Rony. Já no Expresso Hogwarts eles conhecem Scorpius Malfoy, filho de Draco e Astoria e é aí que a história vai tomando forma. O livro tem histórias em paralelo, às vezes mostrando Alvo e em outras Harry, não vou falar sobre os acontecimentos do livro aqui, se quiser saber mais, leia a parte com Spoilers no final.

Algumas situações parecem um pouco forçadas, e talvez por isso eles receberam tantas críticas negativas, mas não podemos esquecer que J.K. estava na produção e nada teria sido feito sem o aval da mesma, logo, sim, é a história do que aconteceu com Harry após tantos anos.

A capa do livro na versão inglesa é dura e muito bonita, com apliques em tecido. Os capítulos são na verdade, divididos em atos e temos 4 grandes divisões durante as pouco mais de 300 páginas.

Pra quem é fã da história vale muito apena a leitura, eu achei mágico poder voltar para Hogwarts e ver tudo aquilo acontecendo, tanto que li o livro todo em um dia, mesmo com dificuldades no inglês. Eu achei maravilhoso e nada do que ninguém diga vai me fazer mudar de opinião, é realmente algo de fã, um amor muito grande pelo universo de Harry Potter, então, não consigo ser parcial, haha.

Nota: 20/10 (hehe)

Você já leu o livro? Acompanhou os sete livros originais? O que espera ou esperava de Cursed Child? Me contem nos comentários! E se você está esperando a versão em português, a Editora Rocco já lançou no seu site a data de lançamento e pré-venda da tradução dessa versão do livro. Vale lembrar que depois das apresentações da peça, será lançada a versão definitiva de colecionador, já que os atores podem acabar mudando algumas falas nos palcos, mas não acredito que serão muitas alterações. Me sigam lá no Instagram para sempre ficar por dentro das novidades e conversarmos por lá também!

bjs



 

———————————————————Início dos Spoilers———————————————————–

Sobre as crianças, Alvo acaba indo para a Sonserina e ficando amigo de Scorpius. Alvo é um menino tímido, que vive em seu próprio mundo e odeia ser visto como o Filho de Harry Potter, já que é uma pressão muito grande pois as pessoas acham que ele deve ser bom em tudo. Na realidade me lembrou muito a infância do próprio Harry, onde todos esperavam muito dele por ser quem era.

Uma coisa que me frustou um pouco no início, foi a relação pai e filho entre Harry e Alvo, que é bastante complicada. Mas ele é um adolescente, e quem nesse fase da vida se dava totalmente bem com os pais? Acaba sendo uma coisa normal quando nos colocamos no lugar do personagem e não temos os nossos olhos que gostam e acompanharam Harry por sete anos da sua vida e conhecemos toda a sua história.

Sobre Scorpius, ele é bem diferente do pai na mesma idade. É um menino inteligente, tímido, muito querido, sincero, adorável e principalmente respeita as diferenças, além de ter uma quedinha pela Rose, filha da Hermione. Ele realmente leva a sério a amizade entre ele e Alvo, sendo na maior parte do tempo ouvinte das lamentações do amigo e ajudando e acompanhando-o sempre que pode. Ele é recluso e os outros estudantes não gostam dele, pois há rumores que ele seria filho de Voldemot.

Falando na Rose, a partir do momento que Alvo passa a ser amigo de Scorpius e entra na Sonserina, ela simplesmente para de falar com o primo. Eu não gostei da personagem, pois achei ela metida e arrogante, na verdade, me lembrou bastante o próprio Draco quando criança, pois ela fica falando o sobrenome dos pais com ar de superioridade.

Do nosso trio preferido, Harry e Hermione trabalham no Ministério da Magia, sendo a Hermione Ministra da Magia, e uma viciada em trabalho, enquanto Rony é o tio engraçadão, tem uma loja de jogos e gosta de cuidar da casa e dos filhos, ele não aparece muito na história, assim como Gina. Draco fica viúvo logo no início, e eu achei que ele amadureceu muito e se tornou um homem muito bom e amoroso com o filho.

O decorrer da história é todo feito em base de viagens no tempo com vira-tempo, onde Alvo e Scorpius tentam salvar a vida de Cedrico, morto no torneio Tribruxo por Rabixo. Porém, eles fazem isso achando que estão ajudando o pai de Cedrico, mas na verdade estão ajudando Delphi, que os engana falando ser prima de Cedrico, quando na realidade é filha de Voldemort e Bellatrix e a “Criança Maldita” do nome da peça. Quando descobri isso tudo fez mais sentido, já que eu achava que o título falava sobre Alvo.

Os meninos fizeram várias viagens no tempo e cada vez que retornavam encontravam um mundo diferente, sendo que em um deles, Severo Snape estava vivo e o Lord das Trevas mandava no mundo, nesse tempo Harry estava morto e Alvo não existia. Nesse mundo é que vemos como Scorpius é diferente do pai e uma ótima pessoa. Enfim, entre idas e vindas no tempo eles eventualmente descobrem sobre Delphi e os adultos os ajudam a controlar a situação.

———————————————————Fim dos Spoilers———————————————————–

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s